• Mais um PODCAST show de bola! Ouvi de madrugada, deitadão, só de boas, hahaha. Praticamente todos os convidados que já participaram do PODCAST, citaram a importância de começar o canal pela diversão, por você gostar do que faz. É extremamente importante isso, se não desanima muito rápido, mas muito mesmo. Talvez seja por isto que alguns canais novos ou que existem há 1 ou 2 anos, enfatizem o humor em seus vídeos, para deixá-los mais dinâmicos e livrar esse pensamento de ganhar dinheiro e ter número muito rápido.
    É uma boa forma de burlar esse pensamento, mas tem que ser natural como o Léo falou. Se não for natural vai ficar zoado, e vai atrapalhar. É claro que existem outros métodos para ter motivação com o canal e que não envolvem você ser um cara superengraçado em todos os vídeos, até porque, é algo muito difícil.

    Outra coisa que achei interessante foi vocês falarem dos métodos de lucro que o canal pode fornecer, o AdSense é o mais usado e é muito bom inclusive, mas a pessoa não pode depender dele pro resto da vida. Tem que haver outras formas de retorno, como um site, uma loja virtual, parcerias com agências, empresas e até outros sites. E sobre quem acha que não é justo um YouTuber ganhar tal quantia em dinheiro pelo o que faz, é lamentável ainda esse pensamento, e eu concordo com tudo que vocês falaram quanto a isto, então não preciso dizer mais nada sobre este assunto.

    E também acho que trabalhos desempenhados através do PC como é o de um YouTuber, Blogueiro, Administrador e etc, vão crescer muito mais num futuro próximo. Estamos caminhando pra uma era cada vez mais tecnológica, e eu particularmente estou meio que deixando o meu pensamento negativo de que no Brasil nada disso vai funcionar e que tudo vai dar errado e etc. Até porque temos exemplos reais de que isto é verdade, vemos vários canais do YouTube e sites que seus donos conseguem viver apenas disso, então há sim uma esperança de que o trabalho via internet se torne mais normal e aceito pela maioria das pessoas, porque ainda há sim uma grande discriminação em relação à quem produz conteúdo pra internet.

    Minha indicação para o próximo convidado é o João Ricardo, do canal JRGAMESXTV. Não sei se você o conhece e caso não conheça isto possa atrapalhar a comunicação ou algo do tipo, mas é minha sugestão. Acho importante trazer canais que não são só sobre gameplays, pois tem gente querendo produzir conteúdo de outras áreas e o JR é um exemplo disto, ele traz algumas gameplays de vez em quando e o canal dele é focado em notícias do mundo dos games. Eu sei que você acabou de trazer um convidado que é praticamente isto que eu citei, mas ele teve um processo de mudança, pois no começo o canal dele era focado em gameplays e com o tempo ele foi mudando isso e hoje ele mescla entre as duas coisas.

  • hagazo

    Quem começa pensando no dinheiro, ao meu ver, faz as escolhas totalmente erradas, porque o cara tá só motivado no dinheiro. Funciona melhor a pessoa criar um público primeiro, “se apresentar”, mostrar a que veio, as propostas (e digo mostrar fazendo, não fazer um vídeo falando “oi, eu sou fulano e minhas propostas pro canal são a, b e c”), pra depois começar a pensar em como fazer dinheiro.

    Se o cara começa pensando em dinheiro, ainda não tem um público que confia nele ou no trabalho dele. E confiança, ou credibilidade, é a principal característica pra um canal crescer. Aí esse sujeito vai atrás de parcerias e só consegue com lojas duvidosas, não gera retorno pra parceria e arruma problemas.. vai atrás de ganhar dinheiro fácil em cima de qualquer coisa e quando vê, não ganhou nem dinheiro e nem tem um público, pq o foco do cara era na grana e não no público.

    Acho que a única maneira de se começar pensando em dinheiro que dá certo são aqueles canais que começam planejados por canais grandes, e que com uma, duas semanas de divulgação do canal maior, o menor já tem bastante inscrito. Assim pode-se nascer um projeto profissional que já visa ganhar dinheiro e já está pautado na credibilidade construída anteriormente pelo canal grande que pensou nisto. Fora esta hipótese, não vejo outra de sucesso.

  • Jenni

    Concordo com o Léo em ter várias fontes de renda (sites, blog, youtube, lojas), porque se uma falhar, tem outros meios de ganhar dinheiro. Eu vejo que a maioria de quem lida com games foca exclusivamente no Youtube e não explora tanto os outros meios. Com um blog, por exemplo, dá pra fazer bastante posts publieditoriais (fazer resenhas de produtos, por exemplo) e com como Natura, Marisa, Renner, Boticário e Tracta. Mas, felizmente, alguns gamers estão vendendo camisetas personalizadas. Acho que seria interessante explorar mais esse lado de manter contato com empresas grandes.

  • hagazo

    Com certeza, tem que pensar “fora da caixa” e encontrar formas de gerar renda sem ser muito agressivo com o público… publicidade direta, dependendo da situação, é mais negativa do que positiva… tem também o lado do público, que infelizmente, é complicado. O brasileiro em geral tem mente muito fechada pra isto.. quer precificar o salário alheio, então várias iniciativas são duramente criticadas. Claro que não se deve dar ouvidos a estas críticas (mesmo porque, não dá pra sair do lugar quando se fica ouvindo críticas assim), e é importante ver outras possibilidades.

  • Pingback: ()

  • Rebeldia Filmes

    o cara pode e DEVE fazer isso.. mas precisa ter muito cuidado no tipo de parceria…
    e claro que o canal não mude de cara só pra atender aos interesses dos patrocinadores!!!